Os medicamentos são pouco usados para tratar a dependência de opioides, afirmam os especialistas da Mayo Clinic

ROCHESTER / MINNESOTA - Embora as pesquisas mostrem que tratamentos auxiliados por medicamentos podem ajudar os dependentes de opioides, os três medicamentos aprovados pela Food and Drug Administration (FDA, a Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA) são pouco usados, de acordo com uma análise dos dados médicos atuais sobre dependência de opioides nos EUA. Essa análise aparece na edição de outubro da Mayo Clinic Proceedings.

Além do aconselhamento em dependência química, os medicamentos naltrexona, buprenorfina e metadona podem fazer parte do tratamento de transtorno do uso de opioides, segundo Tyler Oesterle, M.D., diretor médico dos programas de tratamento de dependentes de drogas e álcool do Fountain Centers da Mayo Clinic. As evidências da eficácia dos três medicamentos no tratamento do transtorno do uso de opioides já estão bem estabelecidas, afirmou o Dr. Oesterle, o principal autor da análise. Essa análise, com base em dados da literatura médica disponível, proporciona uma estrutura para determinar a abordagem ideal dos tratamentos auxiliados por medicamentos.

"Este país está passando por uma epidemia de opioides causada por vários fatores, inclusive o uso excessivamente cauteloso de medicamentos, a vasta disponibilidade de opioides legais e ilegais, e as expectativas da sociedade de que todas as dores podem ser eliminadas", disse o Dr. Oesterle. "Obviamente, não podemos eliminar o problema só com medicamentos, mas temos a oportunidade de mediá-lo por meio de um uso mais criterioso dos opioides com receita."

Cada medicamento tem seus pontos positivos e negativos, e os riscos e benefícios devem ser devidamente discutidos com cada paciente que sofre de transtorno do uso de opioides, de acordo com o estudo.

A naltrexona, cujo uso é aprovado para tratar da dependência de opioides e álcool, bloqueia os efeitos dos opioides em adultos, tem uma atuação mais longa e é ideal como agente bloqueador de opioides, segundo a análise. A adesão dos pacientes ao tratamento com buprenorfina é relativamente alta e está associada a taxas mais elevadas de sobriedade e a uma redução das overdoses acidentais. Os principais benefícios da metadona são um alívio da ânsia por narcóticos, supressão da síndrome de abstinência e bloqueio dos efeitos de euforia associados à heroína.

De acordo com a análise, os três medicamentos podem estar sendo poucos usados em parte porque o acesso é limitado por certas exigências legais em relação a quem pode receitá-los. A única exceção é a naltrexona, que pode ser receitada por qualquer médico.

Outro desafio no tratamento do transtorno do uso de opioides é que pode ter um desenvolvimento lento, dificultando a identificação por parte dos profissionais de assistência básica. "O desenvolvimento de um transtorno do uso de opioides pode acontecer lentamente, com o passar do tempo, e isso dificulta a identificação na assistência básica", disse o Dr. Oesterle. "Atualmente, estamos pesquisando formas melhores de identificar os detalhes e aconselhar os pacientes."

Uma resposta eficaz à crise dos opioides exige mais que uma abordagem baseada apenas em medicamentos, de acordo com o Dr. Oesterle. "Precisamos estabelecer uma estrutura generalizável que utilize todo o repertório de respostas e recursos que temos à nossa disposição." Isso inclui medicamentos, aconselhamento, serviços de saúde mental, reabilitação de empregados e apoio social, afirmou.

19.09.2019 - Fonte: Mayo Clinic - Fotos: © 2019 Pixabay


ÚLTIMAS NOTÍCIAS