O crescimento das redes de drogarias no brasil

O crescimento das redes de drogarias no BrasilSÃO PAULOAs redes de drogarias no Brasil estão entre as varejistas que mais cresceram nos últimos anos. Estimuladas pelo crescimento do consumo, especialistas falam que as redes crescem em ritmo chinês. Os líderes das drogarias têm aberto centenas de lojas todo ano, o que ajuda a pulverizar o negócio em todo país. As lojas têm aumentado sua receita anual em cerca de 15% e a projeção é que, até 2017, esse setor do mercado gere R$ 100 bilhões.

O crescimento não é apenas das grandes redes de farmácia. Segundo a Abrafarma, as drogarias independentes também vêm apresentando forte expansão e já geram movimentação de R$ 14 bilhões.

Há muitos motivos que explicam esse crescimento acelerado. Um deles é o aumento da renda do brasileiro, sobretudo das classes C e D, que faz com que a oferta de produtos e serviços também aumente. Para o mercado farmacêutico, esse público é estratégico e muitos pontos de venda estão sendo abertos em bairros da periferia de grandes cidades. Outra razão é o aumento da expectativa de vida da população. A população idosa consome mais medicamentos e muitas drogarias hoje em dia têm programas especiais de fidelidade para pessoas acima dos 60 anos de idade.

Fusões e aquisições

O número de fusões e aquisições parece estar diminuindo, uma vez que o grupo de drogarias consolidadoras já está bem formado, e há poucas redes para serem compradas. Entretanto, isso não significa que o período de fusões tenha terminado por completo. A compra da Drogão pela Drogaria São Paulo é um exemplo disso.

A DPSP (resultante da fusão da Drogaria Pacheco e da Drogaria São Paulo) estuda a venda da empresa à gigante americana de drogarias, a CVS Caremark. Outros grupos resultantes de fusão, como a RaiaDrogasil, mais concentrada no Sul e Sudeste do país com crescimento de 130 lojas por ano, planeja explorar o Nordeste. O inverso também acontece. A Pague Menos, com sede no Ceará, quer crescer em São Paulo, prevendo a abertura de 80 pontos de venda em 2015.

Expectativa para os próximos anos

Especialistas inferem que o setor continuará em aceleração nos próximos anos, aumentando o número de contratações em todos os segmentos, sobretudo no atendimento direto ao público (balconista). As grandes empresas estão presentes em pequeno número em muitas cidades do Brasil, sobretudo do interior, e isso indica que há muito espaço para ampliação.

Por Matheus Malta de Sá (farmacêutico), 23.01.2015